A descoberta de Jack Thomas Andraka

Jovem cientista descobre o que pode significar milhões de mortes a menos por ano em decorrência do Câncer (por Luiz de Souza – Rio Grande do Sul, Brasil)

Será que, ao tudo indica, o câncer estaria com os dias contados? Se for verdade, faltam 1.825 dias para virarmos o jogo – o fato é que um grande passo está em curso. É sabido que 85% dos casos de câncer do pâncreas, o mais agressivo de todos, são diagnosticados tardiamente pelos métodos hoje disponíveis, quando as chances de cura se reduzem a 2%. E o teste usado hoje para a detecção já completou 60 anos e a um custo aproximado de 800 dólares.

Jack Thomas Andraka (ao centro) descoberta pode salvar milhões de vidas

Jack Thomas Andraka (ao centro) descoberta pode salvar milhões de vidas

Pois estará no mercado dentro de cinco anos um novo e revolucionário teste – 400 vezes mais sensível, 96 % preciso nos resultados, 168 vezes mais rápido, mas também 26 mil vezes mais barato. E mais: detectará também o câncer de ovário e o de pulmão. Quem está nos levando a esta nova era: um garoto 15 anos (hoje com 16), aspirante a cientista chamado Jack Thomas Andraka, de Crownsville, perto de Washington/USA. Com seu invento ele foi o vencedor da Feira Internacional de Ciência e Engenharia da INTEL do ano passado. Mas ele quer ir além do câncer. Vai estar em outra competição, anunciada na feira Consumer Eletronics Show em janeiro passado – a Tricorder X.  E pretende criar um aparelho portátil para diagnosticar 15 tipos de doenças em 30 pacientes em três dias.

Para tanto, ele já compôs o Geração Z, equipe para a qual arregimentou os dois outros finalistas da competição de 2102. Tudo começou a partir de pesquisas feitas no Google sobre biomarcadores de proteínas, onde Jack conheceu a mesotelina,  proteína presente em altas concentrações na corrente sanguínea, mesmo quando o Câncer está no seu estágio inicial. A ideia surgiu numa aula de Biologia, quando Jack lia um trabalho sobre nanotubos de carbono (são cilindros de moléculas com extraordinárias capacidades de condução térmica, mecânica e elétrica, com diâmetro 150 mil vezes menor que um fio de cabelo). Enquanto a professora falava sobre anticorpos do sistema imunológico – uma coisa levou a outra. Poderia, quem sabe, combinar uma rede de nanotubos de carbono com os anticorpos e produzir uma estrutura que pudesse identificar a presença da mesotelina.

Aprofundou a pesquisa e procurou um orientador que pudesse ajudá-lo a gerenciar o processo. Mandou e-mails para 200 cientistas e recebeu 199 “nãos” e um “talvez” de Aniban Maitra, da Universidade Johns Hopkins (USA). Daí para as entrevistas, início do trabalho em laboratório para garantir que o projeto fosse testado e funcionasse, decorreram 7 meses.

O resultado foi um sensor em forma de pequenas tiras de papel que, em uma amostra de sangue de alguém, é capaz de detectar se há câncer de pâncreas, ovário ou pulmão. O teste custa US$ 0.03. O projeto entrou na fase de escolha de uma dentre as diversas empresas candidatas a colocar o produto no mercado no prazo de cinco anos, prazo o qual ele e seu mentor consideram perfeitamente possível.

O prêmio pelo concurso da INTEL foi de 75 mil dólares. Para o vencedor do Tricorder X será de US$ 10 milhões. Pelo tanto que ambos os inventos trarão de royalties, com certeza Steve Jobs gostaria de ver de corpo presente.

NA FOTO: Jack e seus novos sócios na competição de 2012.

fonte: Intel Newsroom Website, jornal O SUL e outros

, , , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: