Decisões Extremas – Um filme aflitivo sobre o Pompe

Uma doença rara (cerca de 10 mil casos no mundo), absolutamente debilitante, de ação progressiva e fatal. Existe no mundo um sem-número de doenças com esta combinação de características, até aqui nenhuma novidade. Mas dito isso sob a perspectiva de quem não vive o problema é uma coisa. Pensar em como deve ser a vida (ainda que breve) de uma criança com a Doença de Pompe…é bem diferente. Devastador é o mínimo que se pode dizer sobre o impacto nas vidas dessas crianças e suas familias – e, repito, dito isso sob a perspectiva tosca de quem não vive o drama.

Ford e Fraser - um filme aflitivo, mas realista

Ford e Fraser – um filme aflitivo, mas realista

A Doença de Pompe é um distúrbio degenerativo de início precoce. A criança apresenta principalmente degeneração progressiva dos músculos, dificuldades para respirar e cardiomegalia (aumento do tamanho do coração). Normalmente a criança não passa dos 9 anos de idade e a morte ocorre por insuficiência respiratória. A incidência é de 1 caso para cerca de 40 a 50 mil crianças. O tratamento é por reposição enzimática, mas está sob estudo ainda.

O filme “Decisões Extremas”, produção (e atuação) de Harrison Ford, mostra justamente o drama de um executivo (Brendan Fraser) que é pai de duas crianças com Pompe e sua luta pra salvar os filhos. Não vou contar aqui o filme – pra quem curte dramas bem entalhados e bons diálogos, vale muito à pena. É um filme simples na essência e serve para, pela “enézima” vez, puxar nossa orelha sobre como reclamamos da vida de barriga cheia.

A arrogância é uma praga. Um filme desses não serve pra mudar atitudes, muita pretensão. Mas pode ser um bom pesticida.

fonte:  Associação Paulista dos Portadores da Doença de Gaucher & Adorocinema website

, , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: