Arquivo de 3 julho, 2013

Médicos que forem para interior terão salários de R$ 10 mil

atrair médicos brasileiros e estrangeiros para atuar no interior do Brasil vai oferecer salário de R$ 10 mil, segundo o Ministério da Saúde. As regras ainda estão sendo definidas, mas é provável que o valor seja fixo independente da região em que os profissionais atuem.

A intenção do ministério é atrair primeiro médicos brasileiros para suprir a ausência de profissionais em municípios distantes do país. Caso a mão-de-obra não seja suficiente, estrangeiros devem ser aceitos, provavelmente com autorização de trabalho por um período determinado, diz a pasta.

Ministro Padilha

Ministro Alexandre Padilha – 10 mil reais para médicos que aceitarem trabalhar nos interiores do país

Ainda não há um número definido de vagas no novo programa, mas o ministério diz ter uma ideia da demanda pelo número de postos não preenchidos na última edição do Programa de Valorização do Profissional da Atenção Básica (Provab), no qual municípios se inscrevem para receber médicos bolsistas. Segundo a pasta, cerca de 13 mil vagas foram abertas na última edição do Provab, mas só 3,5 mil médicos estão atuando no programa, o que indica que de 9 a 10 mil vagas não foram preenchidas.

Deve haver avaliação do currículo dos estrangeiros e da atuação do profissional no país de origem, além do seu histórico de trabalho e outros critérios de seleção, diz o ministério. O mais provável, diz a pasta, é que os estrangeiros interessados no programa permaneçam por um período de avaliação de três semanas em uma universidade ou instituição de ensino superior brasileira – ainda não está definido como as instituições farão a adesão ao novo programa.

O programa pode vir a englobar estrangeiros que não fizeram revalidação do diploma, desde que eles passem por avaliação e haja um prazo de trabalho definido, afirma a pasta.

O ministério diz ainda que países com menos médicos por habitantes do que o Brasil (média de 1,8 médicos para cada mil habitantes) não devem ter profissionais incluídos no programa. Isso deixa de fora Peru (0,9 médicos para cada mil habitantes), Paraguai (1,1 médicos para cada mil habitantes) e Bolívia (1,2 médicos para cada mil habitantes), ressalta a pasta.

A prioridade deve ser para a vinda de médicos de Portugal e da Espanha, diz o ministério, por serem países com proximidade na língua e por terem bons centros de formação em saúde. O desemprego e a crise econômica que afetam esses países também são critérios levados em conta pela pasta para priorizá-los.

Alto risco
Na última semana, representantes da Associação Médica Brasileira (AMB) afirmaram, em São Paulo, que a vinda de médicos estrangeiros para o sistema público seria uma medida de “alto risco”. A associação promete ir à Justiça e buscar órgãos internacionais em ações contra a medida.

No dia 21 de junho, em pronunciamento em rede nacional, a presidente Dilma Rousseff (PT) propôs incentivar a contratação de médicos estrangeiros para trabalhar exclusivamente no Sistema Único de Saúde (SUS).

, , ,

1 comentário

Hospital Divina Providência visita a Meta Hospitalar

A META HOSPITALAR teve a satisfação de receber recentemente a visita de Paulo Schimitt, comprador dos hospitais DIVINA PROVIDÊNCIA de Porto Alegre/RS.  Fornecedora e parceira dos hospitais Divina Providência e Independência de Porto Alegre, a Meta fornece também para outras casas do grupo, não só no Rio Grande do Sul como também em Santa Catarina, em Tubarão, Tijucas, Blumenau e Criciúma.

Conforme Paulo, “a META é muito organizada, tem qualidade e seriedade, além de um ótimo acabamento dos produtos fabricados. E mais: “Para nossa instituição é muito importante que tenhamos parceiros com esta qualidade de produtos, qualificando o bem-estar de nossos pacientes. Aproveito também para agradecer aos representantes da empresa, Luciana e Souza, e ao diretor Presidente Killder Vieira de Melo pela acolhida que tive”, frisou Paulo.

divina providencia

Localizado no bairro Glória/Cascata, o Hospital Divina Providência de Porto Alegre conta com uma área total de 220.650 m², dos quais, 19.995 m² são área construída. Atualmente o Hospital tem capacidade de 165 leitos/dia, distribuídos em 3 unidades de internação, com todo o conforto e a tranquilidade que o paciente precisa, proporcionados pela privilegiada localização geográfica.

Pensando na agilidade e no melhor atendimento de seus pacientes, o Hospital construiu um prédio exclusivo para estacionamento, com 200 novas vagas. Os registros históricos dão conta de que em março de 1895, vindas da Alemanha, desembarcam em Tubarão, Santa Catarina, as primeiras Irmãs da Divina Providência, com o objetivo de fundar o primeiro núcleo da Congregação no país. Outras regiões foram incorporadas à missão de educação, saúde curativa e preventiva. Então a Congregação se estendeu por diversos estados brasileiros e países da América Latina. Em Porto Alegre, o trabalho se iniciou no Hospital Beneficência Portuguesa e no IAPTEC, hoje Hospital Presidente Vargas. No bairro Glória, algumas Irmãs cuidavam da casa Aracili, hoje residência das Irmãs, onde funcionava um asilo para padres idosos e outras pessoas da comunidade. A congregação detectou a necessidade de um hospital naquele local e as Irmãs, com grande espírito criativo, coragem e confiança iniciaram a construção da obra, em 1962. Houve muitos esforços e o auxílio financeiro veio das irmãs das províncias da Holanda e Alemanha. Com toda esta colaboração, foi possível concluir as obras em 1969, e no dia 31 de maio desse ano é inaugurado o Hospital Divina Providência, que acaba de completar, portanto 44 anos.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: