Arquivo de agosto \21\UTC 2018

Anvisa aprova medicamentos para câncer de mama e asma grave

Publicado em 01/08/2018, Por Paula Laboissière – Repórter da Agência Brasil/Brasília (matéria na íntegra)

Capturar

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou dois novos medicamentos: o Kisqali (succinato de ribociclibe), indicado para o tratamento de câncer de mama localmente avançado ou metastático em mulheres na pós-menopausa; e o Cinqair (reslizumabe), indicado como terapia adjuvante de manutenção em pacientes adultos com asma grave.

De acordo com a Anvisa, o Kisqali será comercializado na forma de comprimido revestido, com concentração de 254,4 miligramas (mg) de succinato de ribociclibe (200 mg de ribociclibe), fabricado pela empresa Novartis Singapore Pharmaceutical Manufacturing PTE. LTD, em Cingapura. A detentora do registro no Brasil é a Novartis Biociências S.A.

Já o Cinqair (reslizumabe) está enquadrado na categoria de produto biológico novo e é indicado, por exemplo, quando o quadro clínico for inadequadamente controlado com o uso de corticosteroides inalatórios, em doses médias a alta, associado a outro medicamento para tratamento de manutenção.

O Cinqair (reslizumabe) não deve ser utilizado para tratar os sintomas agudos da asma ou exacerbações agudas. Também não é indicado para o alívio de broncoespasmos agudos ou estado de mal asmático”, informou a agência. O produto será fabricado pela Lonza Biologicals Inc., nos Estados Unidos, e a detentora do registro no Brasil é a empresa Teva Farmacêutica Ltda.

, , , , , ,

Deixe um comentário

Criatividade é o que nos faz humanos – por Marcos Piangers

O radialista, colunista e repórter Marcos Piangers provoca, de forma muito divertida, reflexões sobre o dilema que assombra a humanidade: o paradoxo da tecnologia. Onde pode a inteligência artificial chegar a ponto de, em dez anos, robôs reproduzirem comportamentos complexos os quais hoje são atributos unicamente nossos? O medo Hollywoodiano de que as máquinas nos superem e dominem, relegando o ser humano à sub-raça nos acompanha desde o tempo em que os carros eram carroças a vapor.  Se a nossa caminhada evolutiva nos remete a sermos seres melhores, porque razão as máquinas, organismos em contante estágio de sofisticação, seriam organismos piores que nós? Isso só faz sentido em Hollywood.

fonte: TED Talks Joinville, 2016.

, , , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: