Takeda dobra de tamanho no Brasil, com a compra da Shire

A farmacêutica japonesa Takeda concluiu aquisição da Shire e inicia processo mundial de integração das duas operações. Com a Shire, segundo Ricardo Marek, executivo responsável pela divisão de mercados emergentes, a empresa vai dobrar de tamanho no Brasil. Junto com Rússia e China, o país é um dos mercados-líderes de um grupo de 48 países que já respondem por 14% do negócio da Takeda.

Segundo Renata Campos, há 2 anos como Presidente da Takeda no Brasil, o plano estratégico para os próximos 3 anos está pronto e a empresa deverá lançar 4 novos produtos esse ano. A empresa segue sendo uma das 10 maiores do país, se mantem focada em Gastroenterologia, porém adentra 3 novos seguimentos: doenças raras, hematologia e nerociência. No Brasil, a operação tem agora 1500 funcionários, uma fábrica em Jaguariúna e 1 laborátorio de pesquisas em São Paulo. Ainda segundo Renata, a receita das vendas da Takeda brasileira, como o novo portfolio será: 36% com medicamentos de prescrição; 29%, hematologia; 14%, OTC (medicamentos que não necessitam de receita médica); 10%, doenças raras e 6% oncologia.  

Com a Shire, a Takeda estará em 80 países e terá mais presença nos mercados ocidentais. No novo momento, metade da receita passa a vir do mercado americano. Sendo Europa e Canadá responsáveis por 19%, Japão 18% e Mercados Emergentes 14%. No ranking mundial, após a aquisição, a Takeda passa a ser a 9ª companhia farmacêutica no mundo.

Ricardo Marek (Presidente da Takeda para Mercados Emergentes) e Renata Campos (Presidente da Takeda no Brasil e América Latina)

fonte: Jornal Valor Econômico

, , , , , , ,

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: