Posts Marcados cápsulas endoscópicas

Gastro e Endoscopia Piracicaba – discussão de casos clínicos

No dia 10 de junho, dois respeitadíssimos profissionais no cenário da Endoscopia Terapêutica no Brasil participaram do 4º Gastro e Endoscopia de Piracicaba (SP): O Professor José Inácio Sanseverino, Chefe do Departamento de Endoscopia da Santa Casa de Porto Alegre/SP e o Professor Marco Aurélio D’assunção, Endoscopista e Ecoendoscopista do Hospital Sírio Libanês (São Paulo).

foto1

O Dr. Sanseverino abordou aspectos particulares do uso da Cápsula Endoscópica e da Enteroscopia como procedimentos complementares e importantes no processo investigativo do aparelho digestivo. E o Dr. Marco apresentou diversos casos clínicos complexos relacionados à prática diária do endoscopista e do ecoendoscopista. As discussões aconteceram de maneira bastante informal e interativa, aspecto que diferencia muito o encontro dos tradicionais momentos em formato “aula médica”.

foto2

O evento, organizado pelo Doutor Rodrigo Oliveira (Clínica Bragalha), reuniu 18 profissionais médicos da região, com o intuito de proporcionar educação médica continuada e discussão de casos reais. O encontro reforça a importância da Endoscopia Terapêutica como parte do rol de soluções que o médico pode oferecer ao seu paciente, quando o fechamento do diagnostico (e posterior tratamento) envolve a investigação do aparelho digestivo.

As empresas Boston Scientific e Given-Meditronic participaram como tradicionais apoiadores deste evento.

, , , ,

1 comentário

Covidien fecha acordo para aquisição da Given Imaging

A Covidien, gigante no mercado de dispositivos médicos, com mais de 38 mil funcionários no mundo e faturamento superior a 10 bilhões de dólares, fechou acordo de aquisição da Given Imaging por 860 milhões de dólares.

Bryan Hanson - Presidente da Covidien para Dispositivos Médicos e para os EUA

Bryan Hanson – Presidente da Covidien para Dispositivos Médicos e para os EUAbilhões de dólares, fechou acordo de aquisição da Given Imaging por 860 milhões de dólares.

A Given é a companhia israelense que revolucionou o mercado de exames diagnósticos com a  pesquisa, desenvolvimento e comercialização da tecnologia para a visualização, diagnóstico e monitoramento do sistema digestivo por meio de Cápsula Endoscópica (PillCam).

“Adquirir a Given permitirá à Covidien expandir significativamente a sua presença em um mercado estimado em cerca de 3 bilhões de dólares”, disse Bryan Hanson, Presidente da Covidien para dispositivos médicos e para os Estados Unidos. A transação deverá ser concluída, após análise e aprovação dos órgãos regulatórios competentes, até março de 2014.

fonte: Reuters

, , , , , , ,

Deixe um comentário

Intergastro & Trauma 2013 – Um Programa de Educação Continuada em Saúde

O Intergastro e Trauma (IG&T) nasceu na cidade de Campinas, São Paulo e teve sua primeira edição em 2006. Nasceu com o objetivo de ser um Programa de Atualização em Saúde e com os ano foi se consolidando num evento referencial para a região não só do Interior de São Paulo como para outros estados.

IGT 2013 – Um Programa de Atualização em Saúde

A Cidade de Campinas, com seus um milhão e cem mil habitantes, é hoje o 3º município mais populoso de São Paulo e é o décimo maior PIB do Brasil. Campinas também é responsável por 15% de toda a produção cientifica do país. Desde 1998, vem ocorrendo importante migração no setor econômico da cidade, onde perde fôlego a atividade industrial para ganhar força o setor de serviços (comércio, pesquisa, alta tecnologia e empresas na área de logística, principalmente). Com 389 estabelecimentos de Saúde, Campinas hoje dispõe de 19 hospitais gerais e cerca de 11.500 médicos.

Combinando estes dados, vemos claramente o porquê de um Programa como o IG&T ter naturalmente surgido numa região como Campinas. O número de participantes (que começou com pouco mais de 80 em 2006) oscila entre 700 e 900 inscritos, na totalidade médicos (70%) e enfermeiros + nutricionistas (30%). A grande maioria dos participantes é de Campinas e cidades do entorno, num raio que abrange em média 70 municípios do estado de São Paulo.

A multiplicidade de temas ligados ao trato do aparelho digestivo tem sido ponto de destaque em todas as edições do Encontro e no ano de 2013 não foi diferente. Workshops e Cursos Multidisciplinares em Nutrição, Pediatria, Enfermagem, Cirurgia, Urgências e o prestigiado Hands On fazem parte do Programa de dois dias (24 e 25 de maio de 2013). O foco principal do encontro tem sido médicos, enfermeiros e nutricionistas em sua maioria.

IGT 2013 3

Hands On 2013

Coordenado pelo Dr. Marco Aurélio D’assunção, o Hands On permite ampla discussão sobre técnicas, uso de materiais e equipamentos. A edição de 2013 teve 26 participantes e  sua estrutura foi separada em dois setores: médicos e enfermagem. A estrutura montada para médicos foi dividida em quatro estações distintas – Próteses, Clip de Hemostasia, Ligadura Elástica e Cápsula Endoscópica – e o limite de cinco médicos por estação permitiu um atendimento VIP, dando a oportunidade de todos porem a “mão na massa”, com ricas discussões sobre cada processo.

Boston Scientific e Given participam do Hands On 2013

A Boston Scientific teve destaque pela participação maciça em três das quatro estações do Intergastro – Próteses, Clip e Ligadura Elástica – não só com a aquisição do espaço, mas também como provedora de vasto volume de dispositivos de endoscopia terapêutica utilizados no Hands On pelos médicos orientadores.

A Given Imaging apoiou a primeira estação de Cápsula Endoscópica em um Hand On nacional.  A grande novidade teve a coordenação do Dr. Michel Gardere Camargo. De forma didática e objetiva, foram abordadas pelo Dr. Michel indicações, casos clínicos, o passo a passo do exame (da preparação do paciente ao laudo diagnóstico).

IGT Hands On

Cerimônia de Abertura

A Abertura do Integrastro e Trauma, ocorrida na noite de 24 de maio, teve a presença do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Na coletiva dada à imprensa, o Ministro Padilha anunciou a liberação de verbas para o atendimento de emergência e urgência na região de Campinas, a ativação de 110 leitos em hospitais da região, o aumento da tabela SUS em 80% para atendimentos de urgência e emergência e o investimento na reforma do Pronto Socorro de Campinas. Segundo o Ministro, o Ministério da Saúde tem um projeto pra criar centros de referencia em trauma pelo país e que PUC e Unicamp são candidatos naturais.

Em seu discurso de abertura do IG&T 2013, seu Diretor Executivo Dr. Marcelo Amade enfatizou o papel do Intergastro como projeto de educação continuada, mais do que um congresso ou encontro, capaz de influenciar não só a Saúde do Interior do Estado de São Paulo, como todo o país. Segundo o Dr. Marcelo, “as quatro entidades promotoras do Congresso – PUC, Unicamp, Mario Gatti e Sociedade de Medicina e Cirurgia de Campinas – se colocam em posição líder no intuito de melhorar a capacitação dos profissionais de saúde e, por conseguinte, a saúde do paciente.”

A próxima edição do Intergastro & Trauma está prevista para 2015. Veja mais fotos do Intergastro e Trauma 2013

DSC03624

Dra. Maria Cristina Sartor na Coordenação da Estação de Próteses (Hands On IG&T)

Dr. Sérgio Lombardi na Coordenação da Estação de Hemostasia (Hands On IG&T)

Dr. Eduardo Hausen coordenando a a Estação de Ligadura Elástica (Hands On IG&T)

IG&T 4 2013

site do Intergastro & Trauma – clique AQUI

, , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Gavriel Iddan – invenção que revolucionou o diagnóstico

Ganhador do Prêmio Inventor Europeu de 2011, Gavriel Iddan revolucionou o campo do diagnóstico. Idealizador da Cápsula Endoscópica, fez com que procedimentos invasivos para a detecção de doenças gastrointestinais virassem coisa do passado (veja vídeo, clicando aqui).

Iddan

Gavriel Iddan – 20 anos até o desenvolvimento do primeiro protótipo da PillCam

A invenção

Gavriel Iddan, engenheiro israelita, revolucionou a forma como os diagnósticos são feitos quando, em meados da década de 1990, desenvolveu de forma pioneira o conceito de cápsula endoscópica, permitindo a visualização fácil e precisa do interior do intestino delgado.

Foram 20 anos para que Iddan conseguisse aperfeiçoar seu projeto, possível apenas com a evolução de dispositivos miniaturizados de captação da imagem, lâmpadas de LED e transmissores cada vez mais eficientes na transmissão de imagens via wirelless. A Cápsula endoscópica, como é comumente conhecida, tem 11 x 26 milímetros e pesa 3,7 gramas. O dispositivo é dotado de uma câmera de vídeo, seis LEDs, duas baterias e um transmissor.

capsuleEngolida a cápsula, o transmissor envia sinais para um outro dispositivo que está junto ao paciente, um gravador de dados. A cápsula transmite os dados a uma razão de duas imagens por segundo e a cápsula registra mais de 50 mil imagens em cerca de 8,5 horas de “viagem” pelo sistema digestivo do paciente.

O prêmio

O Invenção de Graviel Iddan permite que o médico possa explorar muito mais porções do trato digestivo do paciente, jamais alcançadas pelos métodos tradicionais de diagnóstico endoscópico. Doenças como Crohn, tumores e sangramentos só eram visíveis, com o uso de endoscópios e colonosópios em porções bastante restritas do trato intestinal. Sua abordagem proporcionou uma série de soluções não invasivas de diagnóstico, o que faz com que muitos pacientes deixem de ir pra mesa de cirurgia. Da mesma forma, a detecção precoce de uma série de doenças gastrointestinais se tornou fundamental para o aumento das chances de sobrevida. Um bom exemplo são os pacientes com câncer.

Atualmente, a cápsula endoscópica sem fio é considerada padrão ouro para o diagnóstico do intestino delgado. Mais de 5 mil centros médicos a utilizam, por mais de 1,5 milhão de vezes em mais de 75 países – este “curriculum” potencializou sobremaneira a nomeação de Gavriel Iddan para o Prêmio Inventor Europeu de 2011. Gavriel Iddan hoje é Diretor Técnico da Given Imaging, empresa pioneira na produção da Cápsula Endoscópica no mundo.

fonte CNN.com Internacional , Wikipedia e Given Imaging Youtube Channel

, , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Webinars sobre Exame de Cápsula Endoscópica

webinar

Frequentemente são realizados diversos webinars (seminários via web) cujos temas estão relacionados com a Enteroscopia por Cápsula Endoscópica ou, mais comumente conhecido, Exame de Cápsula. Os webinars são gratuitos e tem o propósito de ajudar no entendimento sobre as possibilidades do uso desta nova tecnologia no Diagnóstico de Doenças do Trato Intestinal. Veja abaixo a programação para os meses de abril e maio. Basta acessar os links mais abaixo para realizar a inscrição.

Part 1: Identifying the Right Patient & the (Ab)normal Variant – Wednesday, April 17, 7:00 pm EDT – Presenter: David Hass, MD – FACG President, New Haven County Medical Association Assistant Clinical Professor of Medicine Yale University School of Medicine.

This session will provide a foundation for capsule endoscopy through the review of indications, best practices for patient selection, and tips for distinguishing normal vs. abnormal variants. Inscrição:   http://goo.gl/ZBfsk

Leia o resto deste post »

, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Primeiro Curso de Enteroscopia por Cápsula Endoscópica

Nos dias 22 e 23 de março de 2013, a SOBED (Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva) promoverá o 1º Curso de Formação em Enteroscopia por Cápsula Endoscópica. O curso está sob a Coordenação do Dr. Professor José Inácio Sanseverino e irá se realizar na Santa Casa de Porto Alegre/RS. Aos interessados em inscrições para esse curso, entrar em contato com a Central de Ensino da Santa Casa – veja dados de contato clicando AQUIImagem.

, , ,

Deixe um comentário

Estudo Intertek compara performances entre Cápsulas Endoscópicas

imagesO exame realizado por meio de Cápsula Endoscópica é mundialmente utilizado e milhares de estudos atestam sua efetividade na visualização e diagnóstico de lesões do trato gastrointestinal. Cada vez mais reconhecido como um exame benéfico tanto para o médico quanto para o paciente, o nome formal do procedimento é “Enteroscopia do Intestino Delgado com Cápsula Endoscópica” (CBHPM de 2010 sob o código 4.02.01.34 -1 e lista TUSS da ANS, anexo da IN/DIDES nº 44, sob o código 40201341). Além de ser um exame muito confortável para o paciente, proporciona ao médico uma ampla gama de possibilidades diagnósticas.

Mas para que os benefícios sejam efetivos a que se provar a qualidade e a confiabilidade da tecnologia utilizada. E esta comprovação, científica, existe. A Intertek, empresa britânica de atuação global, estudou as três tecnologias disponíveis atualmente (PillCam, Mirocam e Olympus). O estudo, de 2010 (abaixo), comprovou que os dados de performance referentes a ângulo de visão e cobertura de mucosa da PillCam se mostram bastante superiores aos de tecnologias concorrentes. No quesito Cobertura da Mucosa a diferença chega a ser 3 vezes superior. 

+ Field of view was measured per the ISO 8600 standardTesting performed by Intertek, an ISO-certified. third-party testíng facility++ Mucosal coverage area per image results from several factors including field ofview,target curvature, working distance. and software image interpretation

+ Field of view was measured per the ISO 8600 standard
Testing performed by Intertek, an ISO-certified. third-party testíng facility
++ Mucosal coverage area per image results from several factors including field ofview,
target curvature, working distance. and software image interpretation

acesse outros estudos clicando aqui (Given Wesite)

, , , , , ,

Deixe um comentário

Dr. Kaiser Júnior fala em entrevista sobre os benefícios da Cápsula Endoscópica

Dr Kaiser Junior

Alta tecnologia com mais conforto para o paciente

 Cápsula com microcâmera evita desconforto da endoscopia

Para quem não é muito fã da ideia de se submeter a uma endoscopia pelos métodos convencionais, agora já é possível realizar o mesmo exame engolindo apenas uma cápsula. Isso mesmo, uma pequena cápsula que carrega em seu interior uma microcâmera faz todo o serviço que, até então, era feito por meio de cânulas – que além de exigirem anestésico, também geram desconforto enorme, seja qual for o trajeto que elas vão percorrer, na traqueia ou no reto. O equipamento que faz uso da cápsula endoscópica – como é chamada – acaba de ser adquirida pelo Cirurgião Geral Roberto Luiz Kaiser Júnior, de Rio Preto, e com ela poderá realizar exames a exemplo dos que já são oferecidos em São Paulo e em outros centros médicos do País.

O médico explica que a técnica substitui exames tradicionais, com a vantagem de ser mais eficiente. É considerada pelos especialistas como a melhor forma de examinar o intestino delgado, local de difícil acesso, por ficar no meio do aparelho digestivo e ter o comprimento de 5 a 7 metros. A técnica representa uma revolução por auxiliar na identificação e análise de possíveis lesões em fase inicial. “A cápsula endoscópica, guiada à distância, envia imagens para o computador com alta nitidez, e a sensação é que o próprio médico está vendo o caminho dessa viagem”, afirma Kaiser Jr. Ao concluir o trajeto todo, a mesma é eliminada pelas fezes.

Diferentes diagnósticos

O cirurgião rio-pretense observa que além do procedimento ter eficiente aplicação na investigação de sangramento digestivo oculto também está indicado para auxiliar a achar anemia de difícil diagnóstico, tumores, diarreias crônicas e rastreamento, e prevenção de câncer de cólon e pólipos. Pode identificar também a doença de Crohn, uma das principais enfermidades inflamatórias intestinais, e a doença celíaca, que revela pessoas intolerantes aos alimentos com glúten.”Sempre buscamos o que há de mais inovador, ferramentas que aumentem o grau de precisão dos exames e diminua o desconforto do paciente. Com a cápsula endoscópica, o paciente não precisa passar por cirurgia e os resultados alcançados são mais claros”, diz o médico.

Estudo espanhol atesta eficácia

Em recente estudo publicado pela Revista Española de Enfermedades Digestivas (REED), pesquisadores da Universidade de Coimbra, que acompanharam 620 pessoas durante sete anos, concluíram que o uso das cápsulas é sem dúvida o melhor meio para realizar a avaliação do intestino delgado.

Na verdade, a cápsula endoscópica vem sendo avaliada desde que foi apresentada, em 2000, e hoje os especialistas garantem que ela revolucionou a abordagem sobre patologias do intestino delgado. O estudo mostrou que a cápsula é atualmente uma ferramenta de primeira linha de diagnóstico de sangramento gastrointestinal obscuro para diagnosticar desde doença de Crohn a tumores do intestino delgado e outras anormalidades deste intestino. O estudo mostrou ainda que o procedimento com a cápsula é considerado pelos especialistas como seguro e bem tolerado. Porém, alertam para o fato de ser contraindicado se existir alguma suspeita gastrointestinal de obstrução, tais como estenose da fístula – um orifício – ou doença de Crohn extensa, transtornos de engolir, anormalidades do trato gastrointestinal superior (divertículos do esôfago, incluindo Zenker, hérnia de hiato grande) e gestação. Fora isso, o único impedimento pode ser financeiro, já que para se submeter a técnica é preciso pagar em média R$ 3 mil, uma vez que ainda não está disponível no Sistema Único de Saúde, ou liberada pelos convênios.

Câncer de intestino

O especialista em doenças do intestino, o cirurgião geral João Gomes Netinho,de Rio Preto, observa que diferente de outros tipos de câncer, o de intestino ou cólon- como também é chamado- tem importante fator genético envolvido. Portanto, quanto antes for diagnosticado, mais chances de intervenção precoce. “Indivíduos com histórico de câncer ou pólipos intestinais na família devem começar os exames de prevenção mais cedo”, diz o médico, que é também professor da Faculdade de Medicina de Rio Preto.

Outro grupo de risco são os indivíduos portadores de inflamações no intestino, como a colite ulcerativa ou a doença de Crohn. Nesses casos, é comum que as áreas afetadas do cólon apresentem células desenvolvimento anormal, podendo evoluir para células cancerosas, e é nestes casos que o uso da pílula endoscópica ainda não tem indicação, segundo o estudo europeu.

fonte: matéria na integra blog diárioweb mobile (Cecília Dionízio)

, , , , , , ,

Deixe um comentário

O que podemos aprender com Israel – por José Pio Martins

José Pio Martins, Economista e Vice-Reitor do UnicemP

Há algo que me intriga há algum tempo: o que leva um país com apenas 7,9 milhões de habitantes (o Paraná tem 10,4 milhões), um território minúsculo (menor que o estado de Sergipe), terras ruins, sem recursos naturais, com apenas 64 anos de existência, e em constantes conflitos militares… a ser um dos maiores centros de inovação do mundo; ter 63 empresas de tecnologia listadas na bolsa Nasdaq (mais que Europa, Japão, China e Índia somados), ter registrado 7.652 patentes no exterior entre 2002 e 2005, e ter ganho 31% dos prêmios Nobel de Medicina e 27% dos Nobel de Física?

Em resumo: o que explica o extraordinário desenvolvimento econômico e tecnológico de Israel? Pela lista de carências e problemas citados no parágrafo anterior, Israel tinha tudo para ser apenas mais um país atrasado e miserável. Mas, além de não ser, o país transformou-se em um caso único de inovação, tecnologia e desenvolvimento. Muitas das maravilhas que usamos hoje vêm de lá. O pen-drive, a memória flash de computador e muitos medicamentos que salvam vidas estão na lista de patentes de Israel.

Qualquer explicação rápida é leviana. Muitos dirão que é o dinheiro dos norte-americanos e dos judeus espalhados pelo mundo que faz o sucesso de Israel. Não é. Primeiro, porque nenhuma montanha de dinheiro transforma uma nação de atrasados e ignorantes em gênios da inovação e ganhadores de prêmios Nobel. Segundo, grande parte do dinheiro recebido por Israel foi gasta em defesa e conflitos militares. Terceiro, o apadrinhamento militar de Israel nos primeiros anos de sua fundação não foi dado pelos Estados Unidos, mas pela França, cujo apoio cessou somente em 1967, após a Guerra dos Seis Dias.

Nos artigos e livros que pesquisei, não há explicação simplista para o sucesso de Israel. Pelo espaço limitado deste artigo, destaco apenas quatro pontos:

Em primeiro lugar, a história e a cultura. A religião judaica dá ênfase à leitura e à aprendizagem, mais que aos ritos. A perseguição aos judeus e a proibição, durante a Idade Média, de possuírem terras os levou a estudar e se tornarem médicos, banqueiros ou outras profissões que pudessem ser exercidas em qualquer lugar.

Depois vem o apreço pela tecnologia e pela inovação. Israel gasta 4,5% de seu produto bruto em pesquisa e desenvolvimento, contra 2,61% dos Estados Unidos e 1,2% do Brasil. Na ausência de recursos naturais e premido pela necessidade, Israel entrou de cabeça numa cultura de pesquisar, descobrir e inovar.

Em terceiro lugar, a estrutura educacional. A crença de que a única saída para o desenvolvimento – mais que os recursos naturais – é a educação de qualidade está na raiz da cultura de Israel. Do ensino básico até a universidade, Israel desfruta de uma educação de nível e acessível a todos. Se você pensa encontrar um judeu analfabeto, desista. É uma questão cultural: para eles, povo e governo, a educação é o bem maior.

E, por fim, o respeito pelo empreendedor e pelo fracasso. Em Israel, valoriza-se muito aquele que se dispõe a inventar, inovar ou empreender. Quem tenta e fracassa é respeitado e apoiado, pois eles acreditam que a falência é um aprendizado e a chance de acertar da próxima vez aumenta. Isso leva a uma ausência de medo do fracasso e é um elemento-chave da cultura da inovação. No Brasil, o desgraçado que falir uma microempresa nunca mais consegue uma certidão negativa e jamais volta a ser empreendedor.

Não se consegue transpor a cultura de um país para outro, mas há muito que aprender com Israel.

José Pio Martins, economista, é reitor da Universidade Positivo – MATÉRIA COMPARTILHADA NA ÍNTREGA (Gazeta do Povo, publicado em Opinião, 24/08/2012)

, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Given Imaging compra a Smartpill Corporation

A Given Imaging, pioneira e líder mundial na tecnologia de Cápsulas Endoscópicas (clique aqui para saber mais), adquiriu recentemente a Smartpill Corporation. A empresa, com base na cidade de Buffalo (New York, EUA), desenvolveu um sistema de cápsulas que permite medir o PH, a temperatura e a pressão do trato digestivo, tudo num único exame. Esta tecnologia é extremamente importante no tratamento das gastroparesias (lentificação na passagem de alimentos pelo estômago, sem bloqueio) e da constipação (prisão de ventre). Esta união certamente amplia o portfólio de soluções oferecidas pela Given aos médicos Endoscopistas.

Da mesma forma que os demais produtos comercializados pela Given Imaging, o Smartpill permite que o paciente possa retornar para casa e ter uma rotina praticamente normal, enquanto faz seus exames.

Para saber maiores informações sobre este tema, clique aqui.

, , , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: