Posts Marcados comunidade

Laboratórios livram-se de inspeção internacional da Anvisa

laboratorioCerca de 40 empresas do ramo de diagnósticos, associadas da Câmara Brasileira de Diagnóstico Laboratorial (CBDL), foram liberadas das inspeções internacionais da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) por meio de uma liminar da 25ª Vara Cível da Justiça Federal de São Paulo. A decisão também isenta os associados da entidade do pagamento da taxa de R$ 37 mil por inspeção.

De acordo com o secretário executivo da CBDL, Carlos Eduardo Gouvêa, a exigência da inspeção internacional para obter a certificação, e só então requerer o registro de produtos, foi estabelecida pela RDC 25/09 da Anvisa, que entrou em vigor em maio de 2010. “Desde então, formou-se na Anvisa, uma grande fila para a realização desses procedimentos”, destaca.

Ele explica que no ano passado, com base na Lei de Acesso à Informação, a CBDL solicitou à Anvisa os números do setor. “A resposta da Anvisa, em novembro de 2012, mostrou que havia, à época, 1.213 inspeções pendentes e que naquele momento, a agência realizava as inspeções protocoladas no mês de junho de 2010. A própria agência estimava um prazo de 845 dias entre o protocolo do processo de Certificação e a sua publicação”, afirma.

Os dados embasaram o pedido à Justiça para que a inspeção não fosse mais necessária, e a liminar foi conseguida no início deste mês. A Anvisa informou que já tem conhecimento da decisão e que vai recorrer.

fonte: Portal Saúde Web (na íntegra)

, , , ,

Deixe um comentário

Luva para eletrocardiogramas agiliza resgate

(Por Luiz de Souza, Porto Alegre, RS)

Uma novidade tecnológica recém-chegada está otimizando o trabalho das equipes de resgate da Prefeitura de São José dos Campos no atendimento aos pacientes vítimas de infarto: a luva para eletrocardiograma. O equipamento é uma das mais modernas ferramentas de telemedicina disponível hoje e permite que um laudo de eletrocardiograma seja emitido em apenas 4 minutos, otimizando o atendimento e contribuindo para a sobrevida do paciente.

O coordenador médico do Resgate Saúde, Dr. Fernando Fonseca Costa, explica que além da luvapraticidade de manuseio o equipamento permite também uma grande economia de tempo no diagnóstico do infarto, em que cada minuto pode fazer a diferença entre a vida e a morte.

“Os dados são enviados via 3G automaticamente para uma equipe de cardiologistas da Unifesp, que analisa os dados, elabora o laudo imediatamente e nos envia ainda no local do atendimento. Uma agilidade que interfere positivamente na sobrevida do paciente”, explica o médico.

O resgate de São José do Campos é o primeiro serviço de atendimento pré-hospitalar do país a utilizar o equipamento. A luva para eletrocardiograma já está em operação desde o final de janeiro. E já se mostrou muito eficaz. Principalmente em São José, que é uma cidade que tem muitos prédios residenciais, a novidade vem sendo muito bem recebida. Afinal, a grande maioria desses prédios dificulta o trabalho do resgate, com elevadores onde não cabe uma maca.

Nestes casos, a luva ajuda a economizar tempo, quando o socorro for no 10º andar de um edifício, por exemplo. O diagnóstico sai enquanto a equipe pensa na logística para a retirada do paciente do local. Então, se levar dez minutos para remover o paciente, não haverá problema, pois ele estará diagnosticado, medicado e a equipe orientada para onde levá-lo, dependendo do caso. Cerca de 1/3 das pessoas que sofrem infarto não sobrevive e a maioria das mortes ocorre dentro de duas horas. O infarto agudo do miocárdio representa 6,9% de todas as mortes no Brasil. Quase a metade dos óbitos ocorre fora do hospital, com destaque para o domicílio do paciente. E de 25 a 35% dos pacientes infartados morrem antes de receber cuidados médicos.

Fonte: Secretaria da Saúde de São José dos Campos/SP

, , , , , ,

Deixe um comentário

Hospital do Câncer de Barretos – Triplica atendimento infantil

Um dos maiores centros de pesquisa, prevenção e tratamento de câncer do mundo, está colocando pra funcionar  mais uma parte do pavilhão infantil que vai triplicar o atendimento de crianças (Luiz de Souza, Porto Alegre – RS)
Atendendo 100% SUS, o conceituado hospital atende mais de 200 novos pacientes infantis por ano. Foram investidos nesta fase quase de R$ 40 milhões, originados de pessoas jurídicas via mecanismos renúncia fiscal e também de doações de pessoas físicas. A nova área terá duas salas de cirurgia, 27 leitos de internação e outros seis de UTI. Um novo sistema de neuro navegação acoplado ao equipamento de ressonância magnética faz parte do novo bloco cirúrgico.

A equipe de cirurgiões, coordenada pelo Dr. Luiz Fernando Lopes, poderá agora ver, por exemplo, se o tumor foi retirado por completo do cérebro. Informou ele em entrevista à imprensa que “a olho nu, os tecidos tumorais podem se confundir com os normais”.

PIo XII

Com este sistema integrado, que representou um investimento de mais de R$ 7 milhões, o cirurgião poderá submeter o pequeno paciente a uma ressonância magnética com o crânio aberto no transcurso cirurgia.

Até agora a ressonância magnética só poderia ser realizada com o crânio já fechado, tendo que retornar ao bloco no dia seguinte para um novo procedimento, caso o exame indicasse a presença de tecido canceroso remanescente.

Também foram instalados filtros os mais modernos do mundo para prevenir as infecção, permitindo que o hospital trate de alguns tipos de câncer que exigem altas doses de quimioterapia aplicadas  as quais baixa muito a atividade do sistema imunitário do paciente.

Henrique Prata, gestor do hospital, afirma mais uma vez que, com ambiente adequado e a alta competência técnica dos profissionais envolvidos, sempre consegue melhores resultados.

(O Hospital do Câncer é cliente META HOSPITALAR há mais de 10 anos).

fonte: Folha de São Paulo

, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Anvisa suspende os produtos com soja da marca Ades

Segundo a Anvisa, a punição aos produtos se deve “por suspeita de não atenderem às exigências legais e regulamentares” do órgão. (Luci Ribeiro, do Estadão – extraído de Exame.com – matéria na íntegra)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou, nesta segunda-feira, a suspensão da fabricação, distribuição,

suco de maçã - recall de 96 unidades

suco de maçã – recall de 96 unidades

A Agência justifica em resolução publicada também nesta segunda-feira no Diário Oficial da União (DOU) que a punição aos produtos se deve “por suspeita de não atenderem às exigências legais e regulamentares” do órgão. A suspensão abrange todos os lotes dos produtos com os sabores de abacaxi, vitamina banana, cereais com mel, zero frapê de coco, chá verde com tangerina, zero laranja, chá verde com limão, zero maçã, chocolate clássico, zero original, chocolate com coco, zero pêssego, frapê de coco, zero vitamina banana, laranja, zero uva, maçã, laranja, manga, maracujá, melão, morango, uva, original, pêssego, shake morango.

Alguns sabores tiveram suspensão em mais de um tipo de embalagem. A Resolução 1.005 da Anvisa descreve as embalagens específicas de cada produto suspenso. Na semana passada, a Unilever anunciou recall de 96 unidades do suco Ades maçã de 1,5 litro fabricadas no dia 25/02/2013, do lote com as iniciais AGB 25. Segundo a empresa, houve uma alteração no conteúdo do envase devido a uma falha no processo de higienização, o que resultou no envasamento de solução de limpeza no lugar de suco.

De acordo com nota emitida pela Unilever, o consumo dessa substância pode causar queimaduras. O lote que sofreu alteração foi distribuído nos Estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e Paraná. Na ocasião do anúncio do recall, a empresa pediu que os consumidores que estivessem de posse de sucos desse lote não consumissem o produto e entrassem em contato com a Unilever pelo telefone 0800 707 0044, das 8h às 19h, ou pelo e-mail sac@ades.com.br .

, , , , , ,

Deixe um comentário

Minha criança engoliu um objeto, o que fazer?

Na hora do pânico, é normal a reação de que parece que esquecemos tudo o que aprendemos. Por isso, o tema abaixo é importante tanto para médicos tarimbados como para leigos, Pode ser a diferença entre a atitude correta e uma tragédia sem precedentes (nota do editor infoco). 

Por Doutor Ricardo Tedeschi Matos (*), Piracicaba – São Paulo

Na eventualidade de uma criança engolir um objeto, devemos prestar atenção a alguns detalhes. Primeiro, se ela está respirando com dificuldade, se há ruídos na respiração ou se a cor da pele está arroxeada, no caso afirmativo, a criança deve estar com um corpo estranho em via aérea. A conduta imediata é fazer a manobra de Heimlich, onde a pessoa aplica uma manobra, onde deverá posicionar-se atrás da vítima, fechar o punho e posicioná-lo com o polegar para dentro entre o umbigo e o osso externo. Com a outra mão, deverá segurar o seu punho e puxar ambas as mãos em sua direção, com um rápido empurrão para cima e para dentro a partir dos cotovelos. Deve-se comprimir a parte superior do abdômen contra a base dos pulmões, para expulsar o ar que ainda resta e forçar a eliminação do bloqueio. É essencial repetir-se a manobra acerca de cinco à oito vezes. Cada empurrão deve ser vigoroso o suficiente para deslocar o bloqueio. Caso a vítima fique inconsciente, a manobra deve ser interrompida e deve ser iniciada a reanimação cardio respiratória.

Quando a ocorrência envolve crianças maiores...

Quando a ocorrência envolve crianças maiores

Como agir no caso de Bebês

Como agir no caso de Bebês

Estas situações são de extrema gravidade, e deve simultaneamente ser acionado um serviço de emergência médica como o SAMU. Felizmente, a maioria dos corpos estranhos acabam migrando para o trato digestivo, onde deve-se atentar quanto ao tipo de corpo estranho ingerido, os mais perigosos são as baterias de relógio e de brinquedos, imãs, e os materiais pontiagudos metálicos, como pregos e alfinetes devido ao elevado risco de perfuração e desta forma necessitar de uma cirurgia de urgência. Os pais devem procurar imediatamente um pronto atendimento médico, para serem avaliados por um profissional, onde o mesmo irá solicitar exames de radiografia para localização do objeto e posteriormente uma endoscopia digestiva alta, para remoção do mesmo.

Os corpos estranhos mais freqüentes são as moedas, que na maioria das vezes são eliminadas naturalmente através da evacuação, assim como outros objetos plásticos pequenos e não pontiagudos, porém em alguns casos, estes objetos ficam impactados no esôfago e se faz necessário sua remoção endoscópica. Há também moedas que ficam paradas  no estômago, neste caso podemos aguardar em torno de 7 a 10 dias e caso não migrem pelo piloro, canal de passagem do estômago para o intestino delgado, deve-se realizar a endoscopia.

Vale ressaltar que a prevenção deste tipo de acidente pode ser feita, onde orientamos evitar que as crianças tenham o hábito de colocar objetos que estejam ao alcance da mão na boca, orientar uma mastigação adequada, evitar falar, gargalhar, brincar, correr e gritar enquanto come, não sacudi-las durante as refeições. A dentição incompleta também é um fator de risco.

“Lembrando quando se trata de crianças, num minuto de descuido podem acontecer estes eventos!”

Doutor Ricardo Tedeschi

Doutor Ricardo Tedeschi

(*)Dr. Ricardo Tedeschi Matos

Endoscopista e Cirurgião Geral
Mestre em Gastroenterologia pela FMUSP, Titular da Sociedade Brasileira de Endoscopia Digestiva (SOBED), Membro do Corpo Clínico da Clínica Bragalha, Piracicaba (São Paulo)

FONTES:

Livro Endoscopia Digestiva_SOBED (Sociedade Brasileirade Endoscopia Digestiva) 2004

Sites eletrônicos: Socorrismo ( clique aqui) e Wikipedia (clique aqui)


, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Hospital Pedro Canísio – atitudes em prol da Saúde

Comunidade de Bom Principio (RS) se mobiliza em prol da Saúde de todos (por Luiz de Souza)

Bom Princípio, no interior do Rio Grande do Sul, com seus 11.800 habitantes e apenas cerca 30% deles em área urbana, é um dos exemplos de mobilização comunitária pela saúde. Cidade basicamente agrícola, colonização alemã, com um PIB per capita de R$ 17.000,00 (um dos mais altos do país e IDH elevado 0,836, mais alto que o do Brasil, Argentina e Chile). O produto mais importante de lá é o moranguinho com 160 toneladas/ano (13 kg por habitante). Mas o principal o mais importante ativo da região é o bomprincipiense. E exemplos foram marcantes durante a festa de fim de ano da equipe do HOSPITAL PEDRO CANÍSIO, realizada em 30/11/2012, oportunidade em que os resultados deste envolvimento foram apresentados.

Diretoria, funcionários e beneméritos - unidos por uma causa.

Diretoria, funcionários e beneméritos – unidos por uma causa.

Fundado em 1930 e administrado pela Associação Beneficente Pedro Canísio (presidida por Adriana Seibel), o hospital passa por uma severa atualização técnica e de gestão. Empresários e entidades locais (ACI/CDL) têm contribuído não só com dinheiro vindo do lucro de feiras e eventos, mas com atitudes que estimulem os habitantes a gerarem resultados financeiros para o hospital. Um exemplo disso é que o hospital já teve, em seus dias de dificuldade extrema, o 13º dos funcionários pago por um empresário da cidade. Em 2012, superadas as dificuldades, esse mesmo empresário doou todo o lucro líquido anual de sua pequena empresa para que fosse feita a aquisição de parte dos leitos e outros móveis para os quartos do novo hospital. Outro fez a doação dos equipamentos de ar condicionado para todos os quartos. A comunidade foi mais longe: foram realizados chás, almoços, desfiles de moda e outros eventos sociais, durante os quais se promoveram sorteios de motos e outros presentes doados por beneméritos. Os ingressos para esses eventos foram vendidos no próprio comércio local e pelos agentes de saúde da cidade.

A Meta Hospitalar também fez sua contribuição para  festa dos funcionários.

A Meta Hospitalar também fez sua contribuição para festa dos funcionários.

Mas, ao contrário do que se possa pensar, há suporte de verbas públicas. O novo hospital vai ser inaugurado até o fim de 2012, com uma primeira etapa de 763,38 m². A expansão imediata (com capacidade total para 24 leitos), na ala de internação a ser concluída no primeiro trimestre de 2013 é anexa ao prédio da UPA (a primeira UPA do Brasil numa cidade de menos de 50.000 habitantes). E recursos já estão provisionados para totalizar mais de 1.300 m² que comportarão a expansão da ala de internação e o novo bloco cirúrgico.

A Meta Hospitalar esteve presente no dia 30/11, fazendo sua doação, sorteada entre os funcionários do hospital pelo benemérito Zeno Steffen.

, , , , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: