Posts Marcados futuro

O paradigma do lucro na Medicina

por Daniel Souza

Hoje é Dia do Médico. Pensando nisso, me vi refletindo sobre quantas vezes, ao longo da minha trajetória profissional, me deparei com excelentes profissionais médicos preocupados com a imagem social que passariam a seus clientes pelo fato de obterem bons lucros provenientes do seu trabalho. E minha reflexão diz respeito, claro, aos profissionais sérios e bem sucedidos em função disso. Sabemos que profissionais mal formados e nem tão sérios existem em todo o tipo de segmento.

Minha formação é comunicação social. Sempre curioso e metido em tudo o que tenha a ver com a relação saudável entre pessoas, me tornei um profissional de vendas, com forte pegada na formação de outros profissionais. Talvez por uma intuitiva afinidade com o bem estar e pela pesquisa capaz de ampliar os horizontes do ser humano, caí na área da Saúde, onde me encontro até hoje. Apesar de não ter uma formação em Administração, sempre admirei essa área, a mola mestra da nossa sobrevivência. Administrar bem os recursos serve pra tudo – em casa, no trabalho, na escola, na religião (para os que a cultivam, claro) e até num período de férias. Não existe na natureza um só ser que respire que não precise de uma boa administração para sobreviver. Modelos de negócio então, não conheci nenhum que possa viver sem uma boa administração.

Dia do médico

E a fórmula que os gurus em administração nos passaram ao longo de tantos anos também não mudou muito – gere receita, modere os gastos e seu negócio terá lucro. É e sempre foi assim. Mas as crises nos ensinaram a lidar com uma postura adicional – não basta moderar o gasto, mas tem que investir em obter mais receitas, para que um negócio seja bem sucedido.

Se esse racional é socialmente aceito para todos os tipos de negócio, com a medicina, não poderia ser diferente. O médico que tem uma clínica ou um consultório, seja ele grande ou pequeno, precisa ver-se como um empresário e que necessita de uma boa visão do seu negócio para, mais do que sobreviver, ver seu legado se tornar perene. Indo por esse caminho, me agrada a visão do Dentista Roberto Caproni: “Quando o seu consultório ou a sua clínica presta um serviço de valor para a sociedade, ele é remunerado com o Lucro Admirável Merecido, na forma de dinheiro. Esse é o prêmio que a sociedade concede para que você continue atuando em sua atividade profissional, gerando benefícios para ela. O lucro admirável merecido funciona como um termômetro da sua importância para a sociedade”.

Caproni ainda adverte que cortar gastos é como puxar o freio de mão de um carro em movimento. Ele diminui a marcha até parar por completo. Então não pode este ser o recurso único para se fazer uma boa administração. Parece algo simples, mas ainda assim muitas clínicas tropeçam nesses princípios.

O movimento de um negócio é mais importante, mesmo com alguma despesa extra. O imobilismo em tempos de crise é o pior veneno. E como fazer para aumentar receitas? É necessário buscar uma forma de aumentar seu espectro de clientes. Isso tem um custo, óbvio. Ainda que a necessidade de ter um plano de comunicação e marketing não seja algo tão corriqueiro, por ser muitas vezes visto como “algo que um médico não deve fazer, para não parecer demasiado mercantilista” – me poupe… Por isso se diz, de praxe, que em tempos de crise, o empresário deve pisar no acelerador para ser mais visível e desejado pelos clientes do que a média dos seus concorrentes. A área da Saúde (e a medicina, repito, não é diferente) é um mercado e, quer saibamos aceitar essa realidade ou não, onde profissionais de saúde precisam se preparar cada vez mais, como parte desse processo econômico, se desejam sobreviver e prosperar.

O médico é hoje um profissional que, além de ser muito bom na sua área de especialidade, tem que ser bom em gestão e visão do negócio. Dependendo do tamanho do seu modelo de negócio, diversas famílias dependem do seu sucesso e a sociedade precisa que aquela clínica continue prosperando. Afinal, o lucro e a fartura são as formas de como a sociedade agradece a um serviço bem feito. Porque não?

, , , , , , ,

Deixe um comentário

Onde Está a Crise? – Reflexão para os Gerentes de equipes

Quer seja a sua empresa uma empresa multinacional, uma clínica, um hospital ou qualquer outra empresa ligada á área da saúde. Quer seja você empresário ou funcionário em posição gerencial. Se já não está sendo, em algum momento, essa reflexão será sua aliada.

Dada a grande receptividade ao tema (e a pedidos), vamos abordá-lo novamente, mas desta vez falando um pouco sobre quais premissas são importantes para que, juntas, possam ajuda-lo a nadar na contra mão de um momento de crise. Vamos a elas, logo abaixo.

ilustra070

1ª premissa – Crises passam

Não é a primeira e não será a última vez que você navega em um mar revolto. Nesse momento, guardar energia e saber usar os recursos disponíveis de forma ponderada, é crucial. O Professor Caproni, especialista em Marketing na área da saúde, alerta que crises são como gripes. Se você souber manter seu sistema imunológico forte e saudável, a gripe vem leve e passa rápido. Mas há que se “ler” os sinais do ambiente.

Os animais são naturalmente sábios – porque ursos e alguns outros animais hibernam no inverno? O metabolismo destes animais cai drasticamente, o que lhes permite acumular energia enquanto o inverno castiga. O principio é o mesmo em relação ao seu negócio – tire um tempo para identificar quais áreas estão sendo “ladrões” de dinheiro, quais áreas podem trabalhar mais e melhor. Enxugue as contas e gaste menos. Os investimentos precisam ser saudáveis e a ordem do dia é fazer mais com menos, grande novidade. Guarde a maior reserva de energia possível pra quando o momento da “nevasca” passar.

2ª premissa – Trabalhe o emocional

O maior inimigo de um mau momento é o seu mau humor. O medo de não pagar as contas, o receio de perder clientes, a angústia de ser superado por um concorrente mais ousado, o peso de ter que continuar investindo pra não ficar obsoleto – tudo isso só torna o momento crítico mais pesado. Sem falar que dificulta a elaboração de alternativas.

Acordar na defensiva é a pior forma de começar um dia. E um empreendedor não pode se dar ao luxo de viver na retranca, ou será atropelado pelos que pisam no acelerador. Ter optado por ser um empresário é ter a consciência de que não se pode olhar o futuro, sempre de olho no retrovisor. Não é dado ao empresário o direito de pensar um negócio apenas sob a perspectiva da subsistência. Pensar só no curto prazo garante a comida de hoje, mas jamais garantirá seu futuro – esse é o preço a pagar: a corda bamba.

Também não é prerrogativa do empreendedor viver reclamando, se vitimizando ou pondo a culpa em terceiros. Isso afeta diretamente o clima da empresa. Lembre-se que você é o líder e suas atitudes são observadas o tempo todo pela sua equipe. Líder reclamão e inseguro, sinal vermelho para a equipe. E o pior que poderia acontecer em momentos onde você mais precisa da dedicação das pessoas é justamente uma debandada de talentos por perda de confiança no líder.

Busque alguma atividade que lhe dê prazer ao longo da semana, como uma corrida, um jantar com colegas do tempo de escola, malhação. Ative um hobby há muito esquecido ou adormecido, como a música. São válvulas de escape necessárias para energizar e ajudar a lidar com o dia a dia.

3ª premissa – Trabalhe com alternativas

Momentos de crise geram oportunidades, nem sempre percebidas anteriormente. Onde pode existir um determinado tipo de clientela que não está sendo atendida? Que tipos de parcerias complementares podem ser costuradas para ampliar o foco de atuação? Eu tenho um direcionamento, um nicho que eu atendo e um colega é expert em outro nicho de clientes. Ao invés de vê-lo como concorrente, porque não juntar forças nesse momento?

Planejar é uma atitude conhecida, mas pouco praticada. Reserve tempo para desenhar um plano simples para o seu negócio. Pense no mês, no ano corrente e no ano que vem. Tente cruzar cenários e alternativas viáveis. Tenha plano A, B e C. Não é fácil. Mas se fosse fácil, todo mundo faria…

4ª premissa – converse com seus clientes

Atenção redobrada a esse ponto, profissionais que estão na área da saúde: Quais mensagens desejo passar aos meus atuais e futuros clientes? E por quais meios conseguiria mais atenção por parte deles? Saúde é credibilidade. E em momentos de crise, credibilidade é um patrimônio muito precioso. Não importa o tamanho da sua clínica, consultório ou hospital. Perceba que as grandes corporações, em momentos de recessão, aumentam o investimento para falar com os clientes. Por outro lado, é comum a postura de encolhimento de alguns empresários, de afastamento dos clientes. Neste caso, vale a velha história dos dois camaradas que precisavam fugir de um leão. Enquanto um corria, o outro colocava um par de tênis de corrida. O que corria, pergunta: “- Rapaz, o leão vem vindo e você para pra calçar um par de tênis?? Vamos lá, precisamos correr mais que ele!” ao que o outro responde tranquilamente: “- Errado. Eu não preciso correr mais que o leão, eu preciso correr mais que você”. Calce o tênis. Converse com seus clientes!

5ª premissa – pense no seu time

Quem são as pessoas que você tem no seu time e o que cada uma pode dar para contribuir com esse momento? Avalie cada um minuciosamente, suas atitudes e conhecimentos. Defina se estão na posição certa, dando 100% do que podem dar de empenho pessoal pelo negócio. Reconheça as pessoas empenhadas, as que superam o esperado e que superam a si mesmas. Oriente e conduza as que poderiam render mais, as que se dispersam ou gastam energia de forma pouco efetiva. Ofereça treinamento, desafie com mais perspectivas, mostre o caminho certo. E dê tempo às pessoas – o maior erro que um Gerente pode cometer é simplesmente trocar a pessoa ao menor sinal de problema. Lembre que trocar deve ser sempre a última alternativa e normalmente motivada por questões comportamentais. Demitindo sem um bom critério, você perde uma pessoa que já conhecia o trabalho e terá que investir tempo e dinheiro para prepara outra.

Mostre ao seu time de pessoas os desafios desse momento, o quanto a colaboração e o empenho são importantes e o quanto a mais será exigido de cada um, pelo bem do negócio. Dê a elas metas possíveis de serem atingidas e cobre os resultados.

Finalizando…

O professor de Estratégia da Fundação Dom Cabral Paulo Vicente dos Santos afirmou, durante a Expogestão 2015, ser esse momento o cenário ideal para quem tem liquidez, uma vez que os ativos são vendidos abaixo do valor. Segundo ele, o mundo está passando por uma crise, mas o cenário é bem pior fora do Brasil, o que não tem sido novidade pra ninguém. As empresas continuarão apertando o cinto ao longo de 2015 e 2016, é o mínimo esperado, básico.

Com certeza, estamos vivendo um momento desafiador para todo o empresário. Porém é inegável que a busca por diferenciação alavanca empresas e pessoas, mesmo em momentos de crise. Que o seu negócio possa fazer parte das empresas vitoriosas e que souberam passar por esse momento, como um trem – firme, forte e decidido. Não é o momento de dar ouvidos ao pessimismo, pois a receita não mudou, sabemos o que deve ser feito. Trabalhe mais, entregue mais, comunique mais e gaste menos. E não terá nem tempo de ver a crise…

, , , , , , ,

Deixe um comentário

DDW 2013, Orlando/Flórida – clientes contaram com a companhia da ACS

O DDW 2013 (Digestive Desease Week), Congresso Mundial do Aparelho Digestivo, aconteceu entre os dias 18 e 21 de maio, em Orlando (Flórida, EUA). Este congresso é  mundialmente o mais importante evento congregador de gastroenterologistas, hepatologistas, endoscopistas, cirurgiões e áreas afins. É considerado pela Convenção de Saúde e Associação de Expositores um dos 50 fóruns médicos mais importantes do mundo, provendo conteúdo de relevância profissional, intenso networking e aprendizado sobre novas práticas e tecnologias.

Participaram do DDW 2013 mais de 15 mil médicos dos quais 1700, brasileiros. Segundo fontes da Organização do Congresso, a delegação brasileira correspondeu à 3a maior presença, atrás apenas dos japoneses e indianos. Isso tudo sem contar as empresas e entidades apoiadoras do Congresso. Somente empresas expositoras, foram 220.

A ACS esteve em Orlando, com o objetivo de se fazer presente junto a médicos com os quais mantém proximidade rotineira, bem como dar importante suporte às empresas representadas – Boston Scientific e Given Imaging.

Victor Siqueira, Gerente Nacional, (à esq.), Daniel Souza, Gerente da acs e Alexandre Cruz, Diretor da Boston Endoscopia (dir.)

Victor Siqueira, Gerente Nacional Boston, (à esq.), Daniel Souza, Gerente Comercial ACS e Alexandre Cruz, Diretor da Boston Endoscopia (dir.)

Boston Scientific – novidades

Como tem feito todos os anos, a Boston esteve presente com uma estrutura robusta e digna de um líder de mercado. O stand, dividido em estações distintas e cada uma com um instrutor para orientação aos médicos, contou com um efetivo de cerca de 30 colaboradores.  A delegação brasileira contou com 10 participantes, cujo foco de atenção neste DDW 2013 ficou por conta de três novidades:

  • O novo Papilótomo Trutome. Este dispositivo representa um avanço importante, pois vem com vantagens tais como a manopla giratória, a saída do fio guia mais centralizada e pontas mais finas (3,9FR para fio 0,25 e 4.4FR para fio guia 0,35).
  • Clip Resolution – segue sendo o melhor clip disponível para hemostasia, amplamente utilizado por seu perfil confiável de praticidade e resolutividade.
  • SpyGlass no Brasil – o sistema Spyglass foi bastante elogiado pelos médicos brasileiros, pois permite que o endoscopista possa visualizar claramente o campo durante uma Colangiopancreatografia, com ganhos importantes em comparação às técnicas convencionais de visualização, por meio de Raio X. O Spyglass está sendo disponibilizado ao Hospital de Clínicas de São Paulo para uso em estudos científicos.

Given Imaging – novidades

A Given Imaging obteve posição de destaque no segmento de Cápsulas Endoscópicas, tanto em estrutura como em inovações importantes. Também se mostrou muito superior aos seus supostos concorrentes, de presença bem mais acanhada. Para o Brasil, as novidades Given de maior relevância foram:

  • Lançamento da Cápsula Small Bowell 3 (SB3) – em comparação com a SB2,a SB3 dispõe de um sistema inteligente que permite a alteração imediata do número de imagens captadas, conforme a velocidade do transito intestinal. E a SB3 permite um ganho de quase 30% em qualidade de imagem, também comparado com a SB2. A novidade chega ao Brasil ainda em 2013.
  • Incorporação definitiva do sistema Smartpill – o novo sistema, cuja empresa foi recentemente adquirido pela Given, permite medir o PH, a Temperatura e a Pressão do Trato Intestinal com uma única cápsula, um avanço importante no diagnóstico de gastroparesias e constipação crônica.
Given

Dr. Artur Parada, Dr Thiago (ambos de São Paulo), Itamar Carrijo, Gerente Given e Daniel Souza, Gerente acs

Nos EUA, houve a aprovação recente da Cápsula de Cólon 2, o que coloca o Brasil em posição de absoluto destaque tecnológico, uma vez que esta cápsula já é amplamente utilizada em nosso país.

Shake Hands!

Neste congresso, tivemos a satisfação de estar ao lado de importantes médicos brasileiros tais como:

Sérgio Lombardi (Santa Casa de São Paulo, SP), Rodrigo Oliveira (Clínica Bragalha e Unimed Piraciba, SP), Cláudio Bragalha (Clínica Bragalha e Unimed Piraciba, SP), Anderson Freitas da Silva (Clínica Endo, São José dos Campos, SP), Wagner Colaiacovo (Centro de Endoscopia Avançada Rio Preto, SP), Kaiser Júnior (Clínica Kaiser, São José do Rio Preto, SP), José Inácio Sanseverino (Santa Casa de Porto Alegre, RS), Lix dos Reis (Clínica CEA, Campinas, SP), Roberto Ciotola (Unimed Rio Claro, SP), Marco Aurélio D’assunção (Hospital Sírio Libanês, SP), Tomazo Franzini (Clínica Endoquality, Limeira, SP) e Artur Parada (Centro Diagnóstico Artur Parada).

O DDW 2014 será em Chicago (Illinois, EUA). A ACS estará lá, pois onde houver visão de futuro, com certeza é lá que queremos estar.

Para saber mais sobre o congresso, basta acessar o site: http://www.ddw.org/

, , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Mulheres fumantes – duas vezes mais risco de Câncer de Intestino

Para a mulherada que ainda se deleita dando longas baforadas, fazendo lindos círculos de fumaça no ar, más notícias.  Um estudo recente, publicado na Cancer Epidemiology Biomarkers & Prevention (uma publicação da The American Association for Cancer Research) aponta evidências de que mulheres fumantes tem maior risco de desenvolver câncer colorretal do que homens fumantes.

Responsável pela pesquisa, a Dra. Inger Torhild Gram (Professora do Departamento de Medicina Comunitária da Universidade Teenage-girl-smoking-007de Troms, Noruega) pesquisava a explosão dos casos de Câncer Colorretal nos últimos 50 anos, quando se deparou com o achado. Segundo Gram, “essa contatação nos mostra que um número cada vez maior de mulheres que fumam um número moderado de cigarros diariamente desenvolverão câncer de cólon no futuro”. O estudo mostra que mulheres fumantes tiveram 19% mais câncer de cólon do que mulheres não fumantes, enquanto que o índice entre os homens foi de 9%. Porém não foi possível observar outros fatores de risco combinados, como álcool e a dieta dos pacientes.

O câncer colorretal é o 3º diagnostico mais comum de câncer nos EUA e a segunda causa de morte, segundo o National Cancer Institute (NCI). No Brasil, segundo o Instituto Nacional do Cãncer (INCA), a taxa é de 15 casos para cada 100 mil habitantes/ano, sendo que as mulheres apresentam maior número de casos do que os homens.

O estudo reforça a  tese de que as mulheres podem ser mais suscetíveis aos efeitos deletérios do cigarro do que os homens. A maior incidência se deu principalmente entre as que começaram a fumar por volta dos 16 anos e aquelas que fumaram por muitos anos.

fonte: Fox News.com e Folha de São Paulo

, , , , , , , ,

Deixe um comentário

REPFARMA – Capacitar para Crescer

andre reis

André Reis – idealizador da REPFARMA – capacitação é o caminho do crescimento

Capacitar-se é tornar-se habilitado pra desempenhar uma determinada atividade. Para qualquer atividade, a capacitação abre as portas pra que determinada pessoa seja exposta à oportunidades de trabalho, vagas as quais necessitam de pessoas de alto desempenho para ocupá-las.

Na indústria farmacêutica, existe uma profissão que não é “pop”, como um engenheiro, um advogado ou um chef de cozinha: A Propaganda Médica, atividade relativamente nova (legitimada pela CLT por meio da Lei 6224 de 1975), exercida por um profissional de vendas (Propagandista). O Propagandista é contratado por um laboratório farmacêutico e treinado para visitar médicos, com o objetivo e conquistar a preferência desses profissionais para que prescrevam seus medicamentos. A Propaganda Médica é uma atividade desenvolvida mundialmente, mas exercer essa atividade no Brasil é estar sob rigorosa regulamentação do Conselho Federal de Medicina, por meio da resolução CFM Nº 1.974/2011. A resolução estabelece limites éticos na relação entre a Indústria Farmacêutica e Médicos.

Para exercer a atividade de Propaganda Médica de forma produtiva e, da mesma forma, dentro da ética estabelecida pelo CFM, laboratórios investem cada vez mais em treinamento e desenvolvimento, buscando formar profissionais capazes de bem representá-los. O Propagandista precisa ter conhecimento técnico sobre fisiologia e farmacologia, para que possa transmitir informações para médicos, enfermeiros e outros profissionais ligados a área da saúde.

O interesse pela atividade tem crescido de forma inversamente proporcional ao número de vagas disponíveis no mercado. Voltamos então ao início do nosso tema: capacitação. E quando a demanda por gente capacitada encontra, na outra ponta um afunilamento de vagas, surge a necessidade da diferenciação – o candidato a Propagandista que busca conhecimentos sobre a atividade ANTES de ser avaliado e contratado, pode aumentar sua empregabilidade. É a sobrevivência do mais capaz.

E quem primeiro percebeu a oportunidade de capacitar pessoas por meio de cursos livres para serem promotores na área da Saúde foi a REPFARMA. Iniciada em 2010, a REPFARMA surgiu por iniciativa de seu proprietário, André Reis. A empresa é líder no segmento de ensino com foco no treinamento de Propagandistas. Segundo André, a REPFARMA age como uma facilitadora no ingresso de pessoas que desejam entrar no segmento.  Só em 2012, a empresa, com sede no Rio de Janeiro, já formou mais de 400 alunos e em 2013 estende sua bem sucedida operação para os estados de São Paulo e Minas Gerais.

A área da saúde no Brasil precisa de capacitação e desenvolvimento em diversas frentes. Fornecer para o mercado pessoas mais preparadas para a função de Propaganda Médica é um passo adiante, num segmento de grande responsabilidade entre os envolvidos. As empresas farmacêuticas oferecem as melhores oportunidades aos que buscam ficar acima da média. A REPFARMA trabalha incessantemente para elevar essa média.

para saber mais sobre a REPFARMA, clique aqui

, , , , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Super anticorpos contra o HIV

Pesquisadores relatam um avanço na geração de anticorpos poderosos que podem neutralizar o HIV

A partir do momento em que o vírus HIV infecta a sua vítima, inicia uma guerra entre sistema imunológico e vírus. Os anticorpos encarregados de combater e destruir o HIV são eficazes apenas nas primeiras semanas. A medida que o vírus vai sendo combatido, os que sobram sofrem mutações e esse é um processo contínuo – quem vence o confronto final é sempre o vírus. Só que isso acontece em 80% dos casos. Mas e os outros 20%? Segundo estudo da Duke University School of Medicine (publicado na revista Nature) existe uma gama anticorpos de chamados “saqueadores virais” que são capazes de virar o jogo na guerra imunológica, podendo neutralizar a ação do HIV. Estimular o corpo a produzir esses anticorpos não tem ajudado muito – ao assumir uma forma diferente, tais anticorpos podem se voltar contra o próprio sistema imunológico ou se ligam também á células saudáveis, tentando destruí-las.

HIV

Mas, segundo o líder da pesquisa, Professor Barton Haynes, um mapeamento cuidadoso das mutações provocadas pelo HIV pode estimular o corpo a produzir anticorpos verdadeiramente neutralizantes.

“Rastreamos os indivíduos a partir do momento da infecção pelo HIV até o momento em geraram anticorpos neutralizantes. Então mapeamos e isolamos o vírus, acompanhando cada passo ao longo do eliminando as dúvidas sobre o que induziu os anticorpos. Nós temos um mapa sobre como recriar as versões [do HIV] sequenciais que poderiam dirigir linhagens de anticorpos específicos”, afirma Haynes.

O estudo foi realizado com amostras de sangue de 400 pacientes observados por 3 anos, desde o momento da infecção pelo HIV. Foi possível observar que a primeira linhagem de anticorpos surge após 14 semanas desde a infecção. Esses anticorpos se mostraram capazes de se ligar a partes pouco mutáveis do vírus e, por isso, serão a base para a produção de uma possível vacina.

Segundo o Professor Heynes, cada pessoa infectada reage de uma forma diferente, o que os leva a ter que produzir diferentes versões do anticorpo neutralizante. Mas, a exemplo das drogas anti-retrovirais utilizadas atualmente, esse é um caminho viável e mais um avanço importante contra o HIV. 

fonte: TIME Health e Family

, , , , , , ,

Deixe um comentário

Gavriel Iddan – invenção que revolucionou o diagnóstico

Ganhador do Prêmio Inventor Europeu de 2011, Gavriel Iddan revolucionou o campo do diagnóstico. Idealizador da Cápsula Endoscópica, fez com que procedimentos invasivos para a detecção de doenças gastrointestinais virassem coisa do passado (veja vídeo, clicando aqui).

Iddan

Gavriel Iddan – 20 anos até o desenvolvimento do primeiro protótipo da PillCam

A invenção

Gavriel Iddan, engenheiro israelita, revolucionou a forma como os diagnósticos são feitos quando, em meados da década de 1990, desenvolveu de forma pioneira o conceito de cápsula endoscópica, permitindo a visualização fácil e precisa do interior do intestino delgado.

Foram 20 anos para que Iddan conseguisse aperfeiçoar seu projeto, possível apenas com a evolução de dispositivos miniaturizados de captação da imagem, lâmpadas de LED e transmissores cada vez mais eficientes na transmissão de imagens via wirelless. A Cápsula endoscópica, como é comumente conhecida, tem 11 x 26 milímetros e pesa 3,7 gramas. O dispositivo é dotado de uma câmera de vídeo, seis LEDs, duas baterias e um transmissor.

capsuleEngolida a cápsula, o transmissor envia sinais para um outro dispositivo que está junto ao paciente, um gravador de dados. A cápsula transmite os dados a uma razão de duas imagens por segundo e a cápsula registra mais de 50 mil imagens em cerca de 8,5 horas de “viagem” pelo sistema digestivo do paciente.

O prêmio

O Invenção de Graviel Iddan permite que o médico possa explorar muito mais porções do trato digestivo do paciente, jamais alcançadas pelos métodos tradicionais de diagnóstico endoscópico. Doenças como Crohn, tumores e sangramentos só eram visíveis, com o uso de endoscópios e colonosópios em porções bastante restritas do trato intestinal. Sua abordagem proporcionou uma série de soluções não invasivas de diagnóstico, o que faz com que muitos pacientes deixem de ir pra mesa de cirurgia. Da mesma forma, a detecção precoce de uma série de doenças gastrointestinais se tornou fundamental para o aumento das chances de sobrevida. Um bom exemplo são os pacientes com câncer.

Atualmente, a cápsula endoscópica sem fio é considerada padrão ouro para o diagnóstico do intestino delgado. Mais de 5 mil centros médicos a utilizam, por mais de 1,5 milhão de vezes em mais de 75 países – este “curriculum” potencializou sobremaneira a nomeação de Gavriel Iddan para o Prêmio Inventor Europeu de 2011. Gavriel Iddan hoje é Diretor Técnico da Given Imaging, empresa pioneira na produção da Cápsula Endoscópica no mundo.

fonte CNN.com Internacional , Wikipedia e Given Imaging Youtube Channel

, , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: