Posts Marcados pesquisa

México tem primeira vacina contra dengue registrada no mundo

Aline Leal – Repórter da Agência Brasil (matéria na íntegra)

O México aprovou hoje (9) o registro da vacina contra a dengue da Sanofi Pasteur, que também está com pedido de registro no Brasil. “É a primeira vacina contra a dengue que recebeu a aprovação por uma agência reguladora em todo o mundo”, disse a diretora médica do laboratório, Lúcia Bricks.

Vacina-dengue

A agência reguladora mexicana indica o produto para a faixa etária entre nove e 45 anos. De acordo com o laboratório francês, o imunizante tem eficácia de 60,8% contra os quatro sorotipos da doença, taxa de redução de hospitalização de 80,3% e diminuição de 95,5% de casos graves da dengue. A imunização deverá ser feita em três doses, com intervalos de seis meses.

Leia o resto deste post »

, , , , , ,

Deixe um comentário

Estudos mostram – ficção é bom pra você

Estimular ou não as crianças a irem fundo no mundo dos livros e filmes de ficção? Assistir a um filme que estimule a fantasia faz mais bem do que mal? E quanto a nós, adultos? Se for benéfico, em que circunstâncias?

loboPerguntas como estas sempre surgem e os pesquisadores da Universidade de Toronto, Keith Oatley, Maja Djikic e Raymond Mar estudaram, em busca de respostas a estas perguntas. Conduziram um estudo que mostra que a ficção é sim um benefício para todos nós. Mas de que forma?

A ficção estimula áreas do nosso cérebro responsáveis pela compreensão da humanidade e suas diferenças. Com o acesso à livros e filmes de ficção, podemos melhorar aspectos como empatia e entendimento da realidade alheia sobre diversas perspectivas.  Em 2013, foram realizados exames de ressonância magnética em 252 participantes do estudo. Oatley observou-os lendo um romance e identificou a ativação do córtex pré-frontal, sempre que o personagem do romance estava para tomar uma decisão importante. A área ativada é justamente a responsável pela tomada de decisões. Segundo Oatley, para o cérebro a ficção não deixa de ser uma simulação da realidade (ou sonho), ideia defendida e trabalhada por Shakespeare em seu remoto tempo.

ketih

Keith Oatley, responsável pelo estudo

Mais do que mera distração, o Dr. Oatley afirma que a ficção pode sim ajudar executivos a tomarem decisões melhores, sendo assim mais eficientes em suas atividades mais complexas.

fonte:

, , , ,

Deixe um comentário

Pesquisador desenvolve protetor solar para beber

INFOMONEY – Por Júlia Miozzo

Segundo a empresa, beber 30ml da bebida bloqueia os danos do sol, como queimação e foto envelhecimento por três a cinco horas, dependendo da tonalidade da pele.

SÃO PAULO – Pode ser que os tempos de cremes e loções de proteção solar tenham chegado ao fim: uma empresa norte-americana criou a UVO, uma bebida que promete proteger e a pele do sol. Segundo a empresa, beber 30 mL da bebida bloqueia os danos do sol, como queimação e foto envelhecimento por três a cinco horas, dependendo da tonalidade da pele.19402_2_L-644x336De acordo com o Entrepreneur, quem criou a bebida foi o Dr. Bobby Awadalla, um dermatologista e cirurgião de câncer da pele que pratica exercícios no sol e, quando viu um homem em roupas de ginástica bebendo um energético em uma cafeteria, teve a ideia de criar o “protetor solar tomável”.

“Se podemos fazer dos cuidados da pele algo tão bom quanto beber um Red Bull, eu pensei, as pessoas usariam mais”, ele disse. “As pessoas resistem em passar o creme em sua pele porque não gostam da textura grudenta e do cheiro”.

, , , , , ,

Deixe um comentário

Eurofarma compra participação em farmacêutica americana

Martha Penna, Vice-Presidente de Inovação e Pesquisa da Eurofarma, responsável pela negociação.

Martha Penna, Vice-Presidente de Inovação e Pesquisa da Eurofarma, responsável pela negociação.

O laboratório nacional Eurofarma tornou-se acionista minoritário da farmacêutica americana Melinta Therapeutics. A companhia investiu US$ 15 milhões na aquisição de 3% da companhia americana, que é especializada em pesquisa e desenvolvimento de antibióticos inovadores. A compra dessa fatia permitirá à farmacêutica nacional ter o direito de comercializar, vender e distribuir no País delafloxacina, um tipo de antibiótico em fase de desenvolvimento clínico indicado para tratamento de infecções graves de pele, afirmou Martha Pena, vice-presidente da companhia.Atualmente, as pesquisas com delafloxacina contemplam dois estudos em fase 3 (estágio avançado), analisando a eficácia e segurança do uso oral e intravenoso da nova substância em comparação ao tratamento atual com vancomicina e aztreonan venosos, em adultos com infecções graves de pele. Segundo a executiva, a Eurofarma começou nos últimos meses a analisar oportunidades de negócios no mercado americano, com o foco em laboratórios voltados para pesquisa e desenvolvimento de produtos inovadores em fase inicial (start ups), com potencial de expansão.

“Entendemos que é importante estar ligado a uma empresa de desenvolvimento radical (medicamento inovador) para poder ter acesso ao que essas empresas podem oferecer mais para frente.”Antes de fechar com a Melinta, a companhia brasileira chegou a olhar a Durata Therapeutics, que foi adquirida pela gigante Actavis. “Essa empresa agora está listada na bolsa americana e seus papéis estão valorizados no mercado”, disse a executiva.

A estratégia da Eurofarma, nos últimos anos, tem se concentrado no processo de internacionalização. Esse movimento começou em 2009, quando a companhia comprou uma pequena operação na Argentina. Atualmente, a empresa está presente também no Uruguai, na Bolívia, no Chile, na Colômbia, no Peru e na Guatemala. “Já temos presença em 15 países. Estamos olhando oportunidades no México e na Venezuela”, disse.

Internacionalização

Com faturamento de R$ 2,65 bilhões em 2014, incluindo as vendas de suas subsidiárias fora do País, aumento de 20% sobre o ano anterior, a empresa não se define mais como uma farmacêutica brasileira. “Somos uma empresa que tem uma presença regional na América Latina”, disse Maria Del Pilar Muñoz, diretora de novos negócios da Eurofarma. Segundo ela, a estratégia na América Latina é diferente da que é feita nos Estados Unidos. “As aquisições na América Latina focam mais em uma plataforma comercial e na expansão geográfica.”

fonte: Agência Estado (matéria na íntegra)

, , , , ,

Deixe um comentário

Embraer e Boeing farão pesquisas em biocombustível no Brasil

Centro Conjunto de Pesquisa na área de Biocombustíveis deve ser instalado no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP)

As fabricantes de aviões Boeing e Embraer anunciaram nesta segunda-feira que abrirão um centro de pesquisa conjunto para o desenvolvimento de tecnologias de biocombustíveis sustentáveis para a aviação. O Centro Conjunto de Pesquisa na área de Biocombustíveis deve ser instalado no Parque Tecnológico de São José dos Campos (SP).

boeing embra Leia o resto deste post »

, , , , , ,

Deixe um comentário

Energia renovável pelas mãos de Isaac Newton

Empresa gaúcha é pioneira ao buscar gerar energia através da gravidade

(por Celso Renato V. dos Santos, Engenheiro Mecânico responsável pelo laboratório de eletromecânica do Hospital São Lucas – PUC/RS)

Sistema Mecânico desenvolvido no Brasil pode mudar a concepção de energia renovável no mundo.

Sistema Mecânico desenvolvido no Brasil pode mudar a concepção de energia renovável no mundo.

rar 2

Em meados de outubro de 2012, a empresa gaúcha RAR Energia concluiu a construção de um equipamento que pode mudar a maneira como geramos energia no mundo. Depois de passar meses divulgando anúncios misteriosos em Porto Alegre, São Paulo e Rio de Janeiro, a companhia revelou aos poucos o processo de montagem do motor com gerador que utilizaria a força da gravidade para criar energia renovável. A empresa explica que a partir do sistema de moto-contínuo é possível aproveitar uma fonte inesgotável para criar energia sem que haja poluição no ambiente ou o aumento da temperatura do planeta. De acordo com o site da RAR Energia, esse é o primeiro equipamento com esse tipo de tecnologia no mundo. Leia o resto deste post »

, , , , , , ,

1 comentário

GlaxoSmithKline declara nova postura quanto à propaganda de medicamentos

glaxoInédita atitude da farmacêutica inglesa pode mudar a forma como laboratórios se relacionam com seus clientes

A companhia farmacêutica inglesa GlaxoSmithKline divulgou novas regras de Complience a serem praticadas pela companhia, modificando completamente sua relação com clientes e com o mercado. Tomou a inédita decisão entre as empresas farmacêuticas de não mais financiar profissionais médicos para promover seus medicamentos em palestras e conferências científicas, bem como revisará a forma como remunera seus representantes por meio de metas vinculadas ao aumento da prescrição médica. Leia o resto deste post »

, , , , , ,

1 comentário

Jambu é estudado pela indústria farmacêutica como anestésico

Produção da hortaliça dura o ano inteiro no Pará. Produto é encontrado em feiras livres e supermercados.

Jambú - indústria estuda propriedades analgésicas da folha.

Jambu – indústria estuda propriedades analgésicas da folha.

O jambu, uma folha típica do tacacá, está sendo estudada pela indústria farmacêutica por causa da dormência que causa na boca. Ele teria uma substância anti-inflamatória e anestésica. O mais curioso é que o jambu precisa de apenas 40 dias do plantio até a colheita para chegar à mesa do paraense.

O jambu é encontrado em qualquer mercado ou feira livre de Belém. Ele é bastante utilizado na culinária local, como o tacacá, que leva o tucupi (um caldo amarelado extraído da mandioca), goma de amido, folhas de jambu cozidas e, para finalizar, alguns camarões. O jambu aumenta a salivação e causa uma leve dormência na língua graças a uma substância chamada espilantol, que está sendo estudada pela indústria farmacêutica e de cosméticos por causa do seu possível efeito anti-inflamatório e anestésico.

Produção

O produtor Romulo de Oliveira produz há seis anos a hortaliça indispensável na mesa do paraense. As flores do jambu dão sementes que serão enfileiradas na horta em Santo Antônio do Tauá, a 70 km de Belém. Após o plantio, o sistema é o tradicional: água, sol e adubo. Em 15 dias as mudas começam a surgir e são replantadas em outras áreas da fazenda. São mais 25 dias de cultivo até que o jambu esteja no ponto de colheita. A hortaliça é vistosa, tem muitas folhas e atinge até 30 centímetros de altura. “Quando a gente muda aquelas mudas daquela carreira, tem que desbastar porque a tendência dele tem bastante volume”, explica Romulo. Leia o resto deste post »

, , , , , , ,

Deixe um comentário

O espirito do Natal começa com boas atitudes

O Natal é a coroação de atitudes e um ano inteiro é pouco, acredite (por Daniel Souza)

Terminar o ano falando em Natal é sempre perturbador pra quem escreve, por ser o lugar comum das celebrações e presentes. Um paradoxo eterno quanto ao real sentido do espírito natalino – então não vou entrar nessa seara. Deixo aqui uma breve reflexão sobre uma atitude natalina que obedece a todos os mandamentos comerciais e de marketing, porém há muito deixou de ser só uma campanha de ocasião. Me refiro à uma empresa chamada Rede Zaffari de Supermercados.

zaffari

Leia o resto deste post »

, , , , , , , ,

Deixe um comentário

Planos pequenos (até 20 mil usuários) e médios (até 100 mil) serão os mais prejudicados, aponta levantamento divulgado pela Abramge PR/SC

plano-saudeEntra em vigor em janeiro o novo Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde da ANS, que inclui 87 novos procedimentos na cobertura obrigatória dos planos de saúde. Fazem parte da medida novos tipos de exames, cirurgias, consultas e medicamentos orais para o tratamento de câncer, além do aumento do número de consultas e sessões com fonoaudiólogos, psicólogos, terapeutas ocupacionais e nutricionistas.

A Associação Brasileira de Medicina de Grupo (Abramge PR/SC) divulgou esta semana um estudo segundo o qual o impacto econômico destas mudanças nas despesas assistenciais será 3,1% acima da inflação – sendo 1,7% apenas por conta dos novos medicamentos. O estudo foi desenvolvido pela CTS Consultoria.

A entidade se diz preocupada com o impacto econômico sobre as operadoras de saúde, já que os novos procedimentos devem ser ofertados a partir no início do ano e os planos só poderão sofrer reajuste no final de 2014. Cadri Massuda, presidente da Abramge PR/SC, diz não ser contra a inclusão dos novos procedimentos no rol, mas que não há como arcar com as novas despesas sem variação de receita.

Segundo a Abramge PR/SC, as operadoras que mais devem sofrer com as mudanças são as pequenas (com até 20 mil usuários) e as médias (entre 20 e 100 mil usuários), que não dispõem da mesma estrutura e reserva financeira que as demais. A previsão de Massuda é que muitas operadoras fechem as portas. Algumas inclusive já teriam parado de comercializar planos considerados inviáveis.

Massuda diz que as despesas das operadoras estão sempre em crescimento, por conta da evolução da medicina e dos tratamentos, da tecnologia, do aumento da procura por médicos e pela maior longevidade dos pacientes. Defende ainda que a ANS busque estratégias para a saúde financeira das operadoras.

fonte: Saúdeweb (matéria na íntegra). 

, , , , , ,

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: